Projeto apartamento Ibiza

Esse apartamento de 50m² foi pensado para um casal jovem, recém-casado. Permaneceram os acabamentos definidos pela construtora e somente a meia-parede que dividia sala e cozinha, que não tinha função estrutural, foi removida (o edifício é de alvenaria estrutural, o que limita a retirada de paredes). Essa modificação, apesar de seguir o caminho inverso do que hoje está em alta (cozinha americana), permitiu o melhor aproveitamento do espaço com marcenaria planejada. No lugar da parede ficará um conjunto de armário – que atende a cozinha – e bar – que atende a sala e que foi exigência dos clientes!

O Estudo Preliminar aprovado pelos clientes ficou assim:

Planta à esquerda: mesa na varanda com a rede recolhida, mesa de jantar para 4 pessoas e quarto de hóspedes cumprindo seu papel principal. Planta à direita: rede estendida na varanda, mesa de jantar alongada com lugar para 6 pessoas (as 2 cadeiras vieram da varanda) e quarto de hóspedes utilizado como escritório (que fica oculto no grande armário).

Imagem superior: mesa de jantar para 4 pessoas. Imagem inferior: mesa de jantar alongada para 6 pessoas (as 2 cadeiras extras vieram da varanda).

Vista da varanda, da sala e do hall de entrada com cozinha e área de serviço ao fundo.

Imagem superior: bar com porta de correr fechada. Imagem inferior: bar com porta de correr aberta. Esse armário substituiu a meia-parede que dividia sala e cozinha.

Vista do hall de entrada com a sala ao fundo e da cozinha e área de serviço. O armário no qual está a geladeira substituiu a meia-parede que dividia sala e cozinha.

Vista da cozinha e da área de serviço: a divisória de vidro fosco delimita sutilmente os 2 ambientes; a bancada com rodízio esconde o tanque e serve de apoio quando necessário.

Imagem superior: armário adaptado para escritório no quarto de hóspedes. Imagem inferior: “escritório” fechado e poltrona para leitura.

Anteprojeto apartamento Santa Rosa

Devido aos problemas que explicamos aqui, os proprietários ficaram em dúvida entre prosseguir com o Projeto ou cancelá-lo. Após algumas reuniões com a construtora, chegaram a um acordo e resolveram seguir com as modificações que propusemos! As imagens renderizadas a seguir são do Anteprojeto aprovado.

Vista das salas de estar e de jantar

Vista da escada de acesso à cobertura e da cozinha

Mantivemos a maior parte dos materiais de acabamentos definidos pela construtora, como pisos e revestimentos cerâmicos, mas substituímos o piso cerâmico da escada por um granito. Optamos por manter os granitos sugeridos (cinza e verde), mas modificamos as bancadas da cozinha e dos banheiros.

Vista do quarto

Vistas da suíte

Vistas do banheiro da suíte

Nos quartos, marcenaria sob medida para os poucos móveis, cores claras e espelho para ampliar o espaço. No banheiro da suíte, desenho novo para bancada e cuba de apoio.

Vistas da sala de tv

O móvel de tv foi mantido à pedido do cliente, mas um tempo depois decidiram que poderia ser trocado. No banheiro, substituímos a bancada por um apoio revestido de granito e sugerimos uma cuba redonda suspensa. O armário também foi substituído por um apoio de vidro com rodízios e o box por uma divisória fixa de vidro. No terraço, área de serviço e toldo retrátil.

Vista do banheiro social e do terraço

Real ou Virtual?

Adoramos fazer o projeto desse apartamento de 55m2 primeiro pelas dimensões reduzidas do ambiente – um bom desafio – e segundo porque a cliente já tinha bastante noção do que ela desejava e nos avisou o quanto estaria disposta a gastar.

A obra foi finalizada há pouco tempo e só faltam alguns itens decorativos. Assim que estiver tudo no lugar, vamos tirar as fotos oficiais e substituir as imagens no site.

Ficamos muito satisfeitas com o resultado final, que ficou bem parecido com o que foi projetado. E aí: real ou virtual?

Vista da sala de jantar e da sala de estar

Vista da sala de jantar e da sala de estar

Imagem da cozinha e do quarto de hóspedes

Vista da cozinha e do quarto de hóspedes

Fotos e imagens – AMSD Arquitetura

Projeto apartamento Santa Rosa – a solução

Essa cobertura de 80m2 precisou de uma boa reorganização dos espaços para se adequar ao desejo dos clientes – um casal com filhos já criados. Como alguns cômodos eram bem apertadinhos, como a cozinha, decidimos mudar algumas paredes de lugar.

Algumas solicitações dos clientes: manter os 2 quartos, instalar tanque no pavimento inferior, prever área de serviço no pavimento superior (que não foi prevista no projeto, de acordo com o folder de divulgação) e manter a maior parte dos acabamentos definidos pela construtora. Além disso eles não fizeram questão da piscina, do chuveirão e da churrasqueira fixa.

O Estudo Preliminar aprovado pelos clientes ficou assim:

Estudo preliminar - plantas pavimento inferior e cobertura

Estudo Preliminar - vista sala estar/jantar, suíte, sala de tv e terraço

Estudo preliminar - vista suíte, banho suíte e terraço

Estudo preliminar - vista cozinha, sala estar/jantar, quarto, banho suíte, banho social, sala tv e terraço

Estudo preliminar - vista hall, escada, cozinha e banho social

Projeto apartamento Santa Rosa – o problema

Não pensem que tivemos problemas com os clientes, muito longe disso. Na verdade, enfrentamos logo de cara um problemão com a construtora. O fato merece ser mencionado tamanho o absurdo e, de alguma forma, para evitar que isso ocorra com outras pessoas.

Quando os proprietários nos procuraram, o apartamento de cobertura de 80m2 estava com as alvenarias prontas. Eles estavam intrigados porque sentiam que o apartamento estava muito menor do que imaginavam que seria. Explicamos que é comum os proprietários sentirem isso quando visitam a obra. Como foi comprado na planta, ficaria difícil visualizar o desenho do folder de divulgação e transportá-lo para a realidade em 3 dimensões. Mesmo vendo que o espaço era realmente reduzido, afirmamos ser possível readequá-lo de acordo com o desejo deles.

Contrato fechado, levantamento feito e começamos os estudos. Mas aconteceu que a cama de casal não cabia no quarto de forma satisfatória, a geladeira não cabia na cozinha e a porta do banheiro não abriria se fosse colocada uma bancada. Gira para cá, tenta do lado de lá e simplesmente não cabia! Achamos muito estranho e resolvemos pedir para a construtora o folder de divulgação com as imagens do apartamento para ver o que eles haviam sugerido como layout (disposição dos móveis).

Plantas da construtora que foram entregues ao cliente

Qual não foi a nossa surpresa: as imagens das plantas do apartamento que foram colocadas no folder de divulgação estavam completamente alteradas! Os desenhos das camas, dos armários e das bancadas estavam distorcidos de forma que pareciam caber no ambiente! Algumas paredes foram deslocadas no desenho e foram construídas em outra posição. Além disso, alguns cômodos estavam mais de 20cm menores nas 2 direções… Ficamos simplesmente estupefatas. Como se já não bastasse o layout extremamente mal planejado, conseguiram piorar ainda mais a situação.

Planta de levantamento sobre planta da construtora - pavimento inferior. Colocamos os móveis com as medidas ideais na mesma posição dos móveis sugeridos pela construtora.

Planta de levantamento sobre planta da construtora - cobertura. Colocamos os móveis com as medidas ideais na mesma posição dos móveis sugeridos pela construtora.

Interrompemos os estudos e marcamos uma reunião com os clientes para explicar o que estava acontecendo. A verdade crua é que pagaram por um produto e receberam outro e isso já seria motivo suficiente para processar a construtora e cancelar o negócio, com eles e posteriormente com o nosso escritório. Quando os clientes nos apresentaram o material que haviam recebido da construtora no momento da compra, vimos também que não havia o Número de Registro de Incorporação (não confundir com número de Protocolo), o que configura crime segundo a Lei 4.591/64, que “dispõe sobre o condomínio em edificações e as incorporações imobiliárias”. É bom saber que toda negociação de imóvel anterior à obtenção do Habite-se configura incorporação imobiliária e, por isso, será regida por essa Lei.

Os clientes solicitaram uma reunião nossa com a construtora para apresentarmos os problemas do apartamento em si. Como fizemos o levantamento e respondemos pelas informações técnicas contidas nele, aceitamos. A nossa outra grande surpresa foi a audácia dos proprietários da empresa que alegaram, entre outros absurdos e insultos, que as imagens “estavam sem escala” e “eram meramente ilustrativas”. Bem, há uma diferença profunda entre imagem sem escala e imagem distorcida. Explicando melhor: a escala é utilizada para representar no papel objetos do mundo real (que, teoricamente, não cabem na folha de papel). A escala especificada no desenho traduz a medida determinada nele para a medida real: se a escala é 1:50, cada 1cm no desenho significa 50cm no mundo real. Quando mudamos a escala de qualquer desenho, todas as medidas se modificam na mesma proporção. Imaginando o desenho de uma porta de 210cm de altura por 80cm de largura por 4cm de espessura: se for aplicada uma escala de 50%, todas as medidas serão diminuídas igualmente pela metade, ficando a porta com 105x40x2cm. E, definitivamente, não foi o que o aconteceu com os desenhos no folder da construtora.

Escalas - todas as dimensões são modificadas na mesma proporção!

Quando não havia mais como justificar o absurdo, ainda tiveram coragem de dizer que a culpa era da estagiária de arquitetura, que, segundo eles, nem trabalhava mais na empresa. E vejam bem: estagiária! Ela não poderia, de forma alguma, ser responsável pelo projeto arquitetônico. Pois é…

No final das contas, os clientes decidiram por continuar o projeto com nosso escritório. E afirmamos que ainda assim seria possível transformá-lo em um espaço gostoso, só que agora com mais intervenções. Eles concordaram e retomamos os estudos. Vamos postar as imagens do Estudo Preliminar aprovado nos próximos dias.

Como orientação, gostaríamos de pedir a todas as pessoas interessadas em adquirir um imóvel na planta que verifiquem, primeiramente, a idoneidade da construtora. Se necessário, contratem a consultoria de um advogado especializado na área imobiliária. Será um dinheiro bem investido. Procurem outros compradores para verificar se o prometido pela empresa foi cumprido. Em segundo lugar, contratem a consultoria de um arquiteto (não é o projeto!) para ajudar na escolha do imóvel, principalmente se desejam fazer modificações. O bom arquiteto saberá dizer se lote/casa/apartamento condiz com seus desejos e necessidades.

Para constar, queremos deixar claro que as informações que repassamos aos clientes sobre a Lei foram adquiridas através de um curso de incorporação imobiliária que fizemos. Esse curso é direcionado não somente aos profissionais da área, mas a qualquer pessoa que esteja interessada.